Tipos de Câncer

Tumores do Sistema Nervoso Central (SNC)

Os tumores cerebrais ou tumores do sistema nervoso central (SNC) da infância são um grupo de diversas doenças caracterizadas pelo crescimento anormal do tecido contido dentro do crânio. Eles podem ser benignos (sem células cancerosas) ou malignos (com células cancerosas). Depois das Leucemias e Linfomas é o câncer mais comum em crianças.

Sinais e sintomas

Pacientes mais jovens podem ter atraso no seu diagnóstico justificado pela incapacidade da criança em descrever sintomas como cefaléia ou diplopia. Os sintomas inespecíficos podem confundir o quadro clínico e contribuir para o atraso do diagnóstico. Edgeworth et al., estudando 74 casos de crianças com tumor do SNC, identificaram vômitos e cefaléia como as queixas mais freqüentes (65% e 64%, respectivamente), seguidas por outras queixas inespecíficas como alteração do humor (47%),do comportamento (22%) e redução do aproveitamento escolar (21%). As queixas de pacientes com tumor do SNC costumam ser múltiplas e progressivas. Uma criança com queixa de cefaléia deve ser acompanhada de perto, principalmente nos dois primeiros meses de início da queixa, pois anormalidades neurológicas e oculares costumam ocorrer mais freqüentemente neste período. Cefaléia, que muda de característica, aumenta a freqüência e severidade, é matinal e acompanhada por vômitos, deve ser cuidadosamente investigada.

O meduloblastoma é um tumor e acomete o cerebelo, sendo comum ao redor dos cinco anos de idade. Geralmente leva a distúrbios do equilíbrio. Estas crianças começam a cair com mais freqüência como se estivessem bêbadas e também passam a ter dificuldades para coordenar os movimentos.

Dificuldade para ganhar peso, em crianças onde tenham sido afastadas as outras causas de desnutrição e baixa estatura também podem ser sinais de tumores do SNC.

Mudanças de comportamento ou do desempenho escolar devem ser sinais de alerta para os professores, cujo papel é crucial na comunicação precoce aos pais. 
Exames de fundo de olho: exame inicial importante para identificar alterações da pupila. Técnicas modernas de neuroimagem como tomografia computadorizada e ressonância nuclear magnética devem ser usadas precocemente em pacientes com sintomas suspeitos.